O açúcar não é o mau

Sendo o açúcar um alimento com características extremamente expansivas - relaxa, descontrai, desinibe - vai ser desejado, nas suas diversas formas, para equilibrar uma vida com alimentos ou comportamentos extremamente contractivos.

  • Carne
  • Atum
  • Espadarte
  • Enchidos e alimentos fumados
  • Queijos curados e salgados
  • Sal de qualidade duvidosa
  • Stress a realizar algo que não se gosta
  • Stress laboral resultante de horas a fio de actividade
  • Noites mal dormidas
  • Insatisfações várias que não conseguimos resolver de forma pacífica

A dificuldade em deixar de comer açúcar é apenas uma reação do corpo em busca de equilíbrio. 

O açúcar vai continuar nas nossas vidas até o ciclo ser quebrado.

  • Entende-se talvez porque uma dieta excessivamente rígida pode acabar dias depois num (in)desejado ataque ao balde de gelado.
  • Que o quadrado de chocolate, depois de uma sessão no limite no ginásio, seja a opção que relaxa.
  • Que um almoço de negócios onde estão em causa milhões termine habitualmente com o doce da casa ou regado com um bom vinho e licor no final.

Construir o caminho de uma vida sem açúcar começa por reconhecer que o açúcar não é o mau neste filme e que o açúcar não é o (primeiro) alvo a abater quando se tona um visitante frequente à mesa ou fora dela.

A sua presença ou não, é “apenas” o barômetro de escolhas alimentares ou de hábitos de vida mais ou menos sustentáveis, mais ou menos extremas.

Boas práticas.

 

 

Conheça as propostas de regeneração pessoal que temos para si

Saber mais

Subscreva e receba durante 15 dias o nosso programa de regeneração pessoal

Entregue directamente na sua caixa de correio.